São José bem na fita

Estação de tratamento de água da Sabesp (O Vale)

Deu no Fantástico:

Reportagem de Sonia Bridi e Paulo Zero aponta que, ao todo, 34 milhões de brasileiros ainda vivem sem água tratada e metade da população não tem acesso a rede de esgoto. Doenças, sofrimento, esse é o Brasil do atraso. Um estudo inédito, feito nas 100 maiores cidades do país, revela quais são os 10 melhores e os 10 piores municípios em serviços de saneamento básico.

Neste mapa, feito pelo Instituto Trata Brasil, uma boa notícia: São José dos Campos é a terceira melhor cidade do país no Mapa do Saneamento Básico, atrás apenas de Franca e Uberlândia.

Isso é fruto de um investimento constante por parte da Sabesp e do município, resultado não apenas de um ou outro governo, mas de uma continuidade de esforços.
Esforços que resistiram a altos e baixos e a muita pressão política, principalmente à época da renovação do contrato de gestão dos serviços de água e esgoto na cidade, um processo bem conduzido e bem amarrado durante o governo Eduardo Cury (PSDB). São José avançou muito nesta área ao longo dos últimos 30 anos.


Resta a pergunta: o que falta para São José estar em primeiro lugar?

A resposta é complexa, mas, a meu ver, o prumo está em avançar os serviços para áreas consideradas como irregulares, zonas de sombra no mapa urbano. Claro, obras  para tratamento do esgoto são fundamentais. Mas, no Mapa do Saneamento,  o mais importante é levar água tratada e esgoto a todos os pontos da cidade. Por isso, mais que comemorar o terceiro lugar (um resultado excelente, diga-se de passagem), é hora de mirar a ponta da tabela.
O que falta fazer? Como chegar lá?

Leia aqui o resumo do estudo. 

PS: no Mapa da Água Tratada, Taubaté é citada entre as 20 melhores cidades do país. Vale a pena ler o estudo
São José bem na fita São José bem na fita Reviewed by Helcio Costa on 16:15 Rating: 5

2 comentários:

  1. Os dois principais fatores para obtenção desse resultado foram a regularização de bairros com a implantação de infra estrutura. Quase todos já possuíam energia elétrica e iluminação pública, foram feitas algumas melhorias. Onde havia água foi levada a rede de coleta de esgoto, onde havia esgoto se implantou a rede de abastecimento de água. Onde não havia nada foi instalada a rede de água potável. Com isso melhorando a qualidade de vida daquelas populações, que além do documento de posse receberam esses serviços. A segunda ação fundamental foi a conclusão, tantas vezes adiada, da ETE Pararangaba num esforço conjunto da gestão Carlinhos e da Sabesp. Tenho a satisfação de ter sido o gestor desse processo que muito nos orgulha e satisfaz pelo bem prestado a população de São José dos Campos.

    ResponderExcluir
  2. 2013: "Em São José dos Campos, a Sabesp investe 147,5 milhões, no período 2012/2014, em obras de esgoto. Em agosto de 2012, foram iniciadas as obras do Sistema de Esgotamento Sanitário (SES) da Sub-Bacia do Pararangaba, com previsão de conclusão em 30 meses. O investimento de R$ 110 milhões elevará o índice de cobertura com rede de esgoto dos atuais 91% para 93% e o índice de tratamento dos esgotos coletados subirá dos atuais 89% para 100%, universalizando o saneamento básico no município."

    Fonte: http://site.sabesp.com.br/site/imprensa/noticias-detalhe.aspx?secaoId=65&id=5805

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.