S. José não gosta de pobre?


Desculpe franqueza, mas projeto de lei sobre colocação de barras de ferro em bancos para evitar que alguém durma em praça pública ou projeto de lei sobre a proibição de malabares nos semáforos mostra uma face estranha de São José dos Campos.

Parece uma cidade que não gosta de pobre.
Ou, no embalo de Caetano Veloso, uma cidade que, como Narciso, acha feio o que não é espelho ...

Mais que uma solução asséptica para dois "problemas" urbanos, os projetos de lei são, na verdade, a aceitação de que a cidade não tem políticas públicas eficazes para tratar de temas delicados, como pessoas em situação de rua (moradores de rua e mendigos, para usar termos populares), ou como a crise, que gera desemprego, sub-emprego e  tanta informalidade. Não é verdade. Existem estruturas públicas que atuam, com maior ou menor eficiência, frente a essas questões. Não é colocando uma barra de ferro em banco de praça ou escalando fiscais para ficar na cola de artistas de rua que vamos resolver alguma coisa.

Ou esses projetos são para inglês ver, para fazer de conta que o vereador se preocupa com uma questão de é debatida pela cidade?
S. José não gosta de pobre? S. José não gosta de pobre? Reviewed by blog dois pontos on 15:08 Rating: 5

9 comentários:

  1. De quem são as autoras dos projetos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. bem, Luís, o dos bancos é do Maninho 100 Por Cento. o outro é do Walter Hayashi, mas foi apadrinhado pelo Felício

      Excluir
  2. A questão dos malabares é circunstancial. Aqui como em Campinas e Sorocaba estão cheios deles. Com 13 milhões de desempregados é preciso ser tolerante com algumas formas de sustento pessoal. Se gerarmos emprego e renda os malabares desaparecem. Até lá acho que dá para conviver com eles numa boa.

    ResponderExcluir
  3. Prezado Hélcio, não é segredo pra ninguém que pouquíssimas vezes concordamos sobre algo. Esta é, sem sombra de dúvidas, uma dessas vezes!
    Falta, neste governo, solidariedade e amor ao próximo, para que sejam pensadas políticas de inclusão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. concordamos em alguma coisa, afinal. obrigado pelo comentário

      Excluir
  4. Penso que não é uma normalidade uma cidade ter um grande número de moradores em situação de rua em suas estatísticas de habitantes, a questão principal em meu ponto de vista é que esta faltando políticas Publicas para Cuidarem destes caso social em especial, " A RESSOCIALIZAÇÃO" vejo que esta é a única saída para colocar ainda mais dignidade na vida destas pessoas, precisão mais de sugestões e menos criticas, Apoio o Projeto mão Amiga !

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.