Reflexão inconveniente ...


Reflexão inconveniente ...

Demorou para cair a ficha, mas caiu: se o vice-prefeito Ricardo Nakagawa (PMDB) está, de fato, à frente das decisões tomadas na Secretaria de Saúde de São José dos Campos por quê motivo, afinal, o município paga alguém para ocupar o cargo de secretário dessa Pasta? Sem que pese da minha parte nada pessoal sobre a figura do secretário Oswaldo Huruta, esse dinheiro não poderia ser usado para comprar remédios, por exemplo, para usar uma retórica tão cara aos tucanos de São José dos Campos?

Antes que algum tucano espume de raiva, essa reflexão tem sentido.
E precedente ...


No primeiro governo Emanuel Fernandes (PSDB), o vice-prefeito Ednardo de Paula Santos (PSB) ocupou a Secretaria da Fazenda nos primeiros 12 meses de administração, com a missão de colocar a cada em ordem após o quiprocó que foi a gestão de Angela Guadagnin (PT). À época, Emanuel explicou a decisão como uma medida de contenção de gastos. Depois, vida que segue: José Liberato Junior assumiu a Fazenda por anos a fio e Ednardo foi para a Secretaria de Desenvolvimento Econômico. SDE, aliás, que passou para o vice-prefeito Riugi Kojima (PSB) na gestão de Eduardo Cury (PSDB).

Nos dois casos, Ednardo e Kojima eram secretários de fato e de direito ...


Reflexão inconveniente ... Reflexão inconveniente ... Reviewed by Helcio Costa on 14:21 Rating: 5

2 comentários:

  1. Sem tirar o mérito dos dois nomes, a figura de secretários foram p complementação de rendas, pois, o subsídio de vice prefeito era insubsistente, segundo o vices. No caso do Itamar foi dado aumento do subsídio sob protestos, lembra-
    se?

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.