Samba, suor e política

Lá vem o pato ...

E já que o assunto é Carnaval, o desfile da Paraíso da Tuiuti no Sambódromo do Rio merece nota 10 em criatividade e irreverência ...

Transformar debate político em samba, com pitadas saborosas de crítica social, não é para qualquer um não. Com o enredo "Meu Deus, Meu Deus, Está Extinta a Escravidão", a escola carioca levou à avenida a ideia de que a exploração dos escravos ainda resiste no país, de muitas e muitas formas. A ala das Carteiras de Trabalho, em referência à Reforma Trabalhista e ao desemprego, e a ala dos patos da Fiesp, símbolo dos bate-panelas que foram às ruas no auge da crise do governo Dilma Rousseff, traduzem criações geniais que misturam irreverência, humor mordaz e crítica política. Pode-se concordar ou não com ela, mas a escola está de nota 10. Nota 10 merece também a crítica ao presidente Michel Temer, travestido de vampirão neoliberal. Bom humor, crítica aguda e inteligência capazes de surpreender em um mundo quase sempre igual de alegorias, repiques e musas de pouca ou quase nenhuma roupa. Um ponto fora da curva ...

Vamos ver o que acham os jurados.
Enquanto isso, segue o baile, que a festa só acaba na quarta-feira ...
Samba, suor e política Samba, suor e política Reviewed by blog dois pontos on 13:04 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.