Mãe



Palavras, calas, nada fiz, estou tão infeliz.
Falasses, desses, visse não, imensa solidão

Eu sou um Rei que não tem fim, que brilhas dentro aqui ...
Guitarras, salas, vento, chão, que dor no coração

Cidades, mares, povo, rio, ninguém me tens amor.
Cigarra, camas, colos, ninhos, um pouco de calor

Eu sou um homem tão sozinho, mas brilhas no que sou.
E o teu caminha e o meu caminho, é um nem vais nem vou

Meninos, ondas, becos, mãe e só porque não estas, 
És para mim que nada mais na boca das manhãs

Sou triste, quase um bicho triste e brilhas mesmo assim ...
Eu canto, grito, corro, rio e
 nunca chego a ti

Mãe Mãe Reviewed by blog dois pontos on 11:31 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.