Nem todos os gatos são pardos



Falei na rádio, mas não escrevi ainda sobre isso no blog ...

Tenho acompanhado de perto o caso da condenação e da perda dos direitos políticos do ex-prefeito Emanuel Fernandes, assim como o Fla-Flu criado em torno disso. Bem, acho que atualmente política não tem lógica, é um negócio meio sem pé nem cabeça, mas esse caso é importante e merece uma reflexão.

Emanuel Fernandes teve seus direitos políticos suspensos por três anos, condenado por improbidade administrativa. Esse nome complicado –improbidade administrativa-- quer dizer que Mané, como Emanuel é conhecido e chamado pelos amigos, praticou um ato ilegal ou contrário aos princípios básicos da administração pública enquanto prefeito de São José dos Campos. Bem, afinal, que ato foi este? O Ministério Público ou a Justiça acusaram Emanuel de ter roubado ou desviado dinheiro público? Não, não acusaram.  Acusaram Emanuel de ter deixado alguém roubar ou desviar dinheiro público? Não, não acusaram.  Acusaram ter usado o cargo em proveito próprio? Não, de novo, não acusaram. De fato, o MP acusou Emanuel, anos atrás, de não ter aberto, enquanto prefeito, a licitação do transporte coletivo, feita dois anos depois durante o governo de seu sucessor, Eduardo Cury. Este é o caso. Pior: Emanuel foi condenado a revelia, após perder o prazo de contestação, o que foi, digamos assim, uma barbeiragem braba da defesa. Sempre é bom frisar: condenado é, condenado está. É fato.

Mas não deixa de ser triste ...

No rol de escândalos que assolam o país, o caso de Emanuel é quase café com leite perto de tantos e tantos assaltos reais perpetrados aos cofres públicos. Mas, repito, condenado é, condenado está. Decisão da Justiça não se discute. No máximo, se recorre ...

Bem, não tenho procuração para defender Emanuel, nem ele precisa disso. Não somos amigos pessoais, embora sempre tenhamos tido uma relação cordial, construída ao longo dos anos, eu cá e ele lá. Em nossas últimas e raras conversas, falamos mais de livros que de política. É natural: eu sou um leitor voraz e Emanuel, como ele mesmo diz, está colocando a leitura em dia.  Também é bom deixar claro: não sou ligado ao PSDB e nem o PSDB dos tempos de Emanuel é o PSDB de hoje, um partido que, nacionalmente, está se desmanchando a olhos vistos e, em São José dos Campos, tem alguns bons quadros, mas abriga outros que teriam sido barrados lá atrás, nos anos 90, quando a ala jovem do partido derrotou Robson Marinho e inventou um novo jeito de fazer política na cidade. Essa Bossa Nova do PSDB é passado. Bem, dito isso, é importante frisar: nesse caso recente de Emanuel, nem todos os gatos são pardos e nem estão todos no mesmo saco. Como jornalista, sempre fui crítico com seu governo. Emanuel gosta de contar uma história de como algumas manchetes do antigo jornal “ValeParaibano”, do qual fui editor, azedaram muitas vezes seu café da manhã. Ele pedia para o porteiro ler a manchete da edição do dia pelo interfone e só depois enviar o jornal a seu apartamento. Se a manchete fosse ruim, o “Vale” nem subia. Faz parte. Mas é preciso reconhecer que a gestão de Emanuel –o chamado padrão Emanuel de governo-- mudou a cidade, colocou São José dos Campos em um novo rumo. Ele foi e ainda é, sem dúvida, um dos melhores prefeitos da história da cidade. O caso da licitação? Cá entre nós, parece mais filigrana administrativa que um escândalo político. Mas o MP e a Justiça entenderam diferente.

Por isso, repito, condenado é, condenado está. Virou ficha suja? Lamento ...

Decisão da Justiça se respeita, ainda que caiba recurso e muita água ainda vá passar por debaixo da ponte. Água limpa, água suja, sei lá, muita água. Agora, que esse caso específico é bem diferente das trapalhadas de Aécio Neves, Luiz Inácio Lula da Silva e companhia limitada, isso, sem dúvida alguma, é. Misturar tudo no mesmo saco só interessa a quem faz política pelo caminho das sombras e da confusão.

Entre mortos e feridos, segue o baile ...

Nem todos os gatos são pardos Nem todos os gatos são pardos Reviewed by blog dois pontos on 13:54 Rating: 5

3 comentários:

  1. Hoje em dia ser politico é um risco quase certo de ser processado. O ministério público, a policia federal, a justiça e o povo estão cada dia mais sedentos de condenações. Casos graves ficam nas gavetas mofando e casos menos importantes são inflados de valor. Esse do Emanuel é semelhante as pedaladas da Dilma, fizeram o certo na hora errada, ou deixaram de fazer o certo na hora certa.

    ResponderExcluir

  2. valeu, Renê, obrigado pelo comentário, sempre atento. abração

    ResponderExcluir
  3. Num post anterior reclamei a falta deste up date, agradeço não só este post, como o do Carlinhos (mais recente) com informação que também desconhecia. Longe de colocar todos os gatos no mesmo saco, mas cada gato no seu devido saco. Governança também é coisa importante. Cometer erros por desconhecimento ou falta de orientação jurídica adequada dá ruim também.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.