Uma ponte no deserto

Paulo Guimarães e José Turano Junior nos estúdios da Band 


A ponte estaiada é a melhor solução para resolver os problemas da rotatória do Colinas? Que outros estudos foram feitos para a área? A obra terá um custo faraônico? E o transporte coletivo, vai ficar melhor ou pior com a obra?

Essas e outras perguntas foram feitas aos secretários municipais de Obras e Transportes  de São José dos Campos no "Band Entrevista", que vai ao ar neste domingo, às 8h30, com reprise no início da madrugada de domingo. Em conversa franca com o jornalista Cláudio Nicolini e comigo, os secretários José Turano Junior e Paulo Guimarães defenderam a obra, batizada pelo governo Felício Ramuth (PSDB) de "Arco na Inovação", apesar das críticas feitas pela oposição e de uma ação movida pelo Ministério Público, que chegou a pedir a paralisação da obra. "Se essa obra estivesse sendo feita em um deserto, uma ponte convencional ficaria mais barata que a ponte estaiada. Mas, no local onde ela se encontra, o custo e os impactos de uma ponte estaiada são bem menores", disse Turano Junior. "É a solução ideal para um dos principais gargalos de trânsito da cidade", afirmou Guimarães.

Concorda? Discorda?

Pelo sim, pelo não, a questão não pode cair no deserto das ideias.
Para isso, confira o "Band Entrevista" deste domingo, uma conversa franca e objetiva sobre a Ponte Estaiada, 8h30, na TV Band Vale. 
Uma ponte no deserto Uma ponte no deserto Reviewed by blog dois pontos on 17:29 Rating: 5

2 comentários:

  1. Sugiro colocar junto uma pessoa que seja seja contrário a ponte para que a mesma seja avaliada DEMOCRATICAMENTE..ouvindo TODOS os lados.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.