Por fim, mas não por último



Shakespeare Carvalho

Enfim ...

Fechando o ciclo de artigos sobre os números do levantamento feito pelo jornal “O Vale”, em parceria com o instituto Paraná Pesquisas, restam alguns pitacos isolados, mas necessários:

- A presença de Shakespeare Carvalho (PRB) à frente do blocão de candidatos do terceiro pelotão (atrás de Felício Ramuth e Renata Paiva) mostra que o ex-vereador tem sua força, apesar da derrota dolorida nas eleições de 2018, quanto tentou uma vaga a deputado federal. Na pesquisa do “Vale”, ele teve 9,1% e 9,9% das citações. Na verdade, 2020 vai ser um teste de fogo para Shake, como ele é chamado: ou ele recupera o fôlego político exibido como vereador na legislatura passada e como candidato a prefeito em 2016 (com mais de 42 mil votos), ou ele pode vir a ter sua carreira política encerrada prematuramente. Mas, afinal, ele vai sair a que: prefeito ou vereador? Façam suas apostas ...

- Toninho Ferreira (PSTU) aparece com 3,5% e  4% das citações e está dentro da faixa normal. O desafio do PSTU é conseguir eleger vereador. Difícil ...

- A irrequieta Letícia Aguiar (PSL) ficou com 4,5% e 4,9% das citações. Para quem teve mais de 60 mil votos para deputada e foi uma das surpresas da eleição de 2018 na RMVale, parece pouco. O cenário nacional (que ajudou Letícia em 2018) não afeta tanto uma disputa municipal? Não sei, essa é uma pergunta que tem inquietado o mundo político. Mas acredito que a deputada pimentinha tem fôlego para ir mais longe, apesar de ter virado vidraça nas últimas semanas. Tem fôlego se ela se aventurar ao Paço. Mas, afinal, o PSL pode apostar em outros nomes ...

- Outro nome forte de 2018, Eliane Nikoluk também ficou no meio do blocão do terceiro pelotão, com 3,2% e 3,5% das citações. Em 2018, Nikoluk foi candidata a vice-governadora na chapa de Márcio França (PSB); hoje, ela é secretário de Defesa do Cidadão de Jacareí, no governo Izaías Santana (PSDB). Ao que tudo indica, o foco da ex-comandante regional da PM não está no pleito municipal, pelo menos não como cabeça de chapa. Sua meta seria disputar uma vaga na Assembleia Legislativa em 2022. Mas político vive de votos e visibilidade. Vamos esperar para ver. Tem capital político para ir mais longe ...

- Luiz Carlos Oliveira (Podemos) bate em 2,2% nos dois cenários.

- Pesquisa é pesquisa, assim como treino é treino e jogo é jogo. A um ano da eleição, pesquisas são combustível para análises, debates, reposicionamento de peças, mas, nunca, determinantes. Insisto: senti falta de um nome do Novo, até para medir a densidade da sigla. Noves fora, segue o baile ...



Por fim, mas não por último Por fim, mas não por último Reviewed by blog dois pontos on 09:58 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.