13. Histórias da quarentena: máscaras






13. Histórias da quarentena: máscaras

Tudo bem, elas são importantes para conter a pandemia. Mas, verdade seja dita, usar máscara é muito chato.

A não ser que você seja um super-herói, tenha vocação para Jason, seja cirurgião ou esteja se preparando para o Carnaval do ano que vem (vai ter?), usar máscara é um incômodo. Você respira mal, passa calor e embaça os óculos, o que, no meu caso, é um problemão. E não basta usar. Você tem que ter mais de uma, trocar de quando em quando e lavar a máscara em repouso. Mas, fazer o que? Regras são regras. Ajuda na prevenção? Vamos lá, então. Dá multa? Não vale a pena correr o risco. No começo não era obrigatório. A OMS dizia que máscara, só para pessoal da área médica. Depois, mudou. Máscaras de pano, máscaras cirúrgicas, máscaras de TNT, máscaras brancas, coloridas, para amarrar atrás das orelhas ou atrás da cabeça. Máscaras feitas em casa. Máscaras de grife. Máscaras diversas, para melhor combinar com a roupa. E como tudo, tem os testes das máscaras e tem gente até ensinando como usar: tem que tampar o nariz e a boca. Máscara de pescoço? Não serve. Mas o presidente usa. Usa, mas não serve. E não pode mexer na máscara. Como não? Você anda, a máscara desce. Você fala, a máscara sai do lugar. Não dá para comer usando máscara. Mas, outro dia, na TV, vi um homem fumando de máscara, a fumaça saindo através do tecido. Estranho. Uso, por obrigação. Outro dia, esqueci. Sai de casa falando ao celular e só percebi que estava sem a proteção no meio do caminho. E agora? Voltar? Que trabalhão. Mas, e se o João Doria estiver olhando? Entrei numa farmácia e comprei uma máscara, mais uma. Nunca pensei em entrar em um banco mascarado. Nem em visitar, mascarado, o CPI-1, o comando regional da Polícia Militar do Vale do Paraíba, como fiz, em maio, e ser bem recebido. Tempos estranhos. Quando criança gostava de alguns heróis mascarados: Zorro, Batman, Durango Kid, Mightor e, meu preferido, o Homem Aranha. Hoje, Dom Diego de La Vega, Bruce Wayne e o poderoso Tor iam levar multa. Suas máscaras estão irregulares, não tapam corretamente nariz e boca. Nem super-herói escapa dessa sanha mascarada.

Segue o baile ...

13. Histórias da quarentena: máscaras 13. Histórias da quarentena: máscaras  Reviewed by blog dois pontos on 09:22 Rating: 5

2 comentários:

  1. Saborosíssimas suas "Histórias da quarentena"! Agora, cá entre nós, Mightor veio bem de lá do fundo do baú, hein? :-D

    ResponderExcluir

  2. Revelei a idade, né? Na verdade, Mightor me foi lembrado por outro amigo. Resolvi encaixar o personagem no texto. Bons tempos do Mightor

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.